• Álvaro Dezidério

Mentes Consumistas - Ana Beatriz Barbosa


Nos tempos atuais, por razões óbvias, quando excluímos corrupção, e crise sanitária, falar sobre consumo e consumismo é sempre um tema de momento. Seja porque o planeta está indo para uma situação insustentável em termos de consumo, seja porque a nova classe média brasileira descobriu - de uma forma dolorosa - que viver acima do seu orçamento é possível durante um tempo mas não todo o tempo, o consumo exagerado (sempre tendo em mente o que significa exagero) é sempre o tema do momento.


Ana Beatriz Barbosa, uma Psiquiatra incrível e escritora bastante competente resolveu tratar deste tema sob a ótica patológica em seu último livro, "Mentes Consumistas". Ana Beatriz é mais conhecida pelo estudo dos serial killers, no livro Mentes Perigosas, e menos conhecida por um excelente livro sobre Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade.


O trabalho da Ana é muito bom em termos de pesquisa e organização das ideias. A autora hierarquiza as razões pelas quais as pessoas acabam tornando-se consumistas compulsivas e como isso deriva para uma doença. Ela separa de forma bem detalhada – mas sem ficar chato – como o processo começa na mente humana. O ser e parecer ser, o prazer de adquirir, o status, a dificuldade de lidar com frustrações e como o cérebro humano constrói os mecanismos de recompensa.


Em seguida ela consegue apresentar muito bem como o marketing identifica este processo mental e faz de tudo para capturar suas vontades e transformá-las em necessidades que ainda não tínhamos, mas que depois de um certo bombardeio de informações destinadas a capturar seus gostos e preferências, acreditamos que não podemos mais viver sem aquele produto ou serviço. Confesso que nesta hora eu lembrei da minha incursão na loja da Apple em Nova York. É impressionante como ao entrar lá você passa a precisar de tudo que não precisava alguns minutos antes. Na minha opinião esta é a melhor parte do livro. É muito didática e bem construída.


Dois pontos que não me agradaram. O primeiro é a discussão sobre a busca pelo prazer do cérebro. Acho que faltou mais fundamentação. Não sou Psiquiatra mas sou bem interessado neste assunto e leio sobre isso há anos (cérebro + comportamento humano, compulsões, busca pelo prazer, etc...) e fiquei com a impressão de que para resumir o tema, ela pulou coisas importantes. Mas é minha impressão. Outro leitor(a) pode não chegar a mesma conclusão que eu. Na parte em que ela tenta explicar o consumo conspícuo ela derrapa bem. Quase parei de ler o livro. Ao final, entendi que não dá para comparar Ana Beatriz com André Lara Resende (Os Limites do Possível) e que falar de consumo conspícuo, sem derrapar, não é para qualquer um.


Mas tirando estes dois pontos, o livro é bom e vale a pena ser lido. Ele fornece insights bem interessantes sobre a aplicação deste tema, sobretudo para quem precisa entendê-lo, seja em um contexto profissional, seja em contexto pessoal.


1 abraço de quebrar costela.

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo